Blog voto a voto

O "Voto a voto" é um blog voltado ao marketing político/eleitoral, comunicação governamental e estratégias eleitorais. Além de fazer um apanhado das principais notícias da política.
Recent Tweets @
Who I Follow

O prefeito de Acará, José Maria Mota Júnior (PMDB), que pintou seu município de azul e verde, as cores da sua campanha.Terá que repor as cores originais de todos os prédios, também terá que ressarci o erário em R$ 50 mil, acrescido de juros e correção monetária.

E como descumpriu uma ordem judicial, também terá de pagar multa no valor de R$ 50 mil, sob sua “responsabilidade direta e pessoal”, conforme destaca o magistrado.

O ex-prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB), em entrevista para o blog de Hiroshi Bogéa confirmou sua candidatura do governo do Estado.

Câmara deflagra processo de cassação contra petista

Deputado ligado a doleiro preso renunciou ontem à vice-presidência da Casa

Isolado até mesmo no PT após a revelação das suspeitas, ele ficará inelegível até 2023 caso perca o mandato

O Conselho de Ética da Câmara abriu ontem processo de cassação contra o vice-presidente da Casa, o deputado licenciado André Vargas (PT-PR), que no início da noite renunciou ao cargo que ocupava na cúpula da instituição.

Isolado até mesmo dentro do PT após as revelações de suas ligações com o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato da Polícia Federal, Vargas ficará inelegível até o início de 2023 caso perca o mandato.

O caso será relatado pelo oposicionista Júlio Delgado (PSB-MG), que em 2005 foi o responsável na Câmara por elaborar o pedido de cassação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) no escândalo do mensalão.

O PT chegou a apresentar uma questão de ordem para tentar barrar a instauração do processo no conselho sob o argumento de que a investigação deveria ser iniciada pela Corregedoria da Casa, mas a manobra foi rejeitada pelo presidente do colegiado, Ricardo Izar (PSD-SP).

Antes da escolha de Delgado para a relatoria do caso, por sorteio, dois outros nomes concorriam para a função, entre os quais Roberto Teixeira (PP-PE).

O deputado pernambucano teria recebido R$ 250 mil como doação eleitoral intermediada por Youssef, segundo e-mails interceptados pela PF na Lava Jato.

De acordo com as investigações, o doleiro teria intermediado doações para deputados e diretórios do PP e para o PMDB de Rondônia nas eleições de 2010. Até a conclusão desta edição, a Folha não havia conseguido falar com Teixeira.

“Neste caso em questão nós temos muitas provas públicas e notórias”, disse Delgado sobre o caso, para quem não há meio-termo, ou é cassação ou é absolvição.

O conselho terá a partir de agora 90 dias úteis para concluir a investigação e apresentar um parecer que pode prever diversas punições, sendo a mais grave o pedido de cassação do mandato.

A decisão final ficará a cargo do plenário da Casa, em votação aberta. Para haver a perda do mandato, é preciso o voto de pelo menos 257 dos 513 deputados.

Delgado avisou que pretende concluir seu parecer em maio -antes, portanto, do início da Copa do Mundo.

Vargas está sob intensa pressão desde que a Folha revelou que uma viagem sua de jatinho, de Londrina (PR) a João Pessoa, com familiares, foi paga pelo doleiro.

A PF também flagrou conversas em que o petista e o doleiro conversam sobre contrato de um laboratório ligado a Youssef com o Ministério da Saúde.

Segundo a PF, o doleiro é um dos chefes de esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões de forma suspeita.

No atual estágio do processo, mesmo que Vargas renuncie ao mandato -até agora ele apenas entregou o cargo de vice-presidente e se licenciou por 60 dias do mandato-, o Conselho de Ética seguirá com o trâmite da cassação até o fim.

Desde que o caso estourou, Vargas só foi à Câmara uma vez para se explicar na tribuna do plenário. Na ocasião, ele afirmou que foi um equívoco ter pedido o favor para o doleiro, de quem disse ser amigo há 20 anos.

Desde então, sofre pressão do PT e do Palácio do Planalto para que renuncie ao mandato.

Prestes a assumir em maio a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro do Supremo Tribunal Federal José Antonio Dias Toffoli acredita que a legislação “tutela” o eleitor e engessa o debate político no País. Para ele, é uma “hipocrisia” proibir partidos e candidatos de pedirem votos antes do início oficial da campanha.

Toffoli disse considerar “preconceituosa e desrespeitosa” uma pergunta se haveria incompatibilidade entre sua função no TSE e o fato de ter sido advogado do PT. Ele responde fazendo menção aos pré-candidatos do PSDB e do PSB.

— Vá fazer a pergunta para o Aécio Neves, o Eduardo Campos e a Marina Silva, porque eles têm.

Em palestra sobre o golpe de 1964 , Toffoli afirmou que os militares se afastaram do povo na ocasião, deixando de exercer uma espécie de poder moderador que tinham.

— A partir da Revolução de 1930 [movimento armado que pôs fim à chamada República Velha], todos os partidos procuravam os militares. Onde é que o Luís Carlos Prestes foi buscar apoio para a Intentona [Comunista, em 1935, que pretendia derrubar Getúlio Vargas]? No interior dos quartéis. A esquerda e a direita no Brasil têm medo de povo.

Para ele, ainda há muitos resquícios desse “medo do povo”.

— Veja as decisões na área da Justiça Eleitoral. Em grande parte prevalece a ideia de que o povo não sabe votar, de que um determinado cidadão comprou o voto do povo. E aí? Cassam o voto do povo. Isso é uma tutela, é o discurso moral de alguma autoridade que acha que sabe, melhor do que o povo, o que é melhor para o povo. Veja a questão da propaganda eleitoral antecipada. Também é tratada como se fosse para enganar o povo. Ora, o povo não sabe quem é quem?

Toffoli acha o debate eleitoral, com as regras atuais, totalmente engessado. Crê de poderia ser mais aberto. E exemplifica lembrando o programa partidário do PSB, de Marina Silva com Eduardo Campos, exibido recentemente.

— Eles não podem, no programa do partido deles, chegar lá e dizer às claras: ‘Nós queremos chegar ao poder’. Não podem. Não podem por causa da lei, que o Congresso não muda. Não tem sentido.

Sobre a proibição de doação de recursos às campanhas eleitorais, Toffoli afirmou que gostaria mesmo é que o Congresso estabelecesse um teto de gastos por campanha.

— Isso seria um avanço. O Congresso poderia definir, por exemplo, que numa candidatura à Presidência da República só fosse permitido gastar R$ 100 milhões. Para governador, seriam tantos milhões, e assim por diante. Outra alternativa seria definir os gastos proporcionalmente, de acordo com o número de eleitores de cada Estado. Hoje um candidato a vereador em São Paulo pode gastar mais do que um candidato a presidente da República, porque ele é quem dá o limite. Ora, sem limite legal, o céu vira o limite.

O XI Congresso Brasileiro de Estratégias Eleitorais e Marketing Político acontece nos dias 30 e 31 de maio, consolidando o evento como o mais importante intercâmbio do país entre os profissionais que atuam no segmento da política. Uma das suas principais marcas é a de justamente colocar frente-a-frente os principais nomes do maketing político-eleitoral do cenário nacional, diante de centenas de consultores políticos, assessores, pesquisadores, jornalistas, publicitários, advogados, políticos das mais variadas origens e demais profissionais que atuam no campo político, oriundos das mais diversas regiões.

Por essa capacidade de transmitir informações estratégicas de alto valor, fundamentais para qualquer campanha eleitoral, o congresso se constitui como o melhor investimento para todos aqueles que desejam se lançar com maior êxito, no pleito eleitoral de outubro de 2014.

O congresso acontece pela primeira vez na capital do Brasil – Brasília-DF – e é o único que tem a grife da ABCOP. Simultaneamente ao evento será realizada a X Feira de Produtos para Campanhas Eleitorais, configurando uma grande oportunidade de colocar os participantes do evento em contato com o mercado fornecedor de soluções para campanhas

PSDB lança o portal  www.mineirobrasileiroaecio.com.br projetado para ser a plataforma de convergência das mídias digitais da campanha de Aécio Neves.

Com 83 milhões de brasileiros acessando a internet, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o estrondoso impacto das redes sociais nas manifestações populares de junho e julho no ano passado, 2014 é o ano que consolidará nas eleições brasileiras a importância do marketing político digital. “A presidente Dilma e os outros candidatos que concorrem à Presidência - o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador Eduardo Campos (PSB) - já começaram a se organizar. Há uma necessidade de se comunicar com essa juventude”, avalia o sociólogo e consultor de marketing político, Mauro de Lima.

Na avaliação do PSDB, que na semana passada lançou o portal  mineirobrasileiroaecio.com.br, projetado para ser a plataforma de convergência das mídias digitais da campanha do senador mineiro, há um contingente de cerca de 30 a 40 milhões de brasileiros nas redes sociais que não estão vinculados ou não gostam de política. Xico Graziano, responsável pela área de internet da campanha tucana nessas eleições, diz que o desafio é transformar a estratégia digital em votos, inserindo no mundo político essas pessoas que reivindicam mudanças e transformações no País. “As pessoas querem participar do destino do Brasil e não conseguem, o desafio é atingir esses jovens insatisfeitos que não se dispõem a participar do projeto político.”

E as redes sociais são a aposta dos partidos para o diálogo com esses eleitores. Um dos casos bem sucedidos nesse campo, lembrados na pré-campanha deste ano até pelos opositores, é o da ex-senadora Marina Silva na eleição presidencial de 2010.

O PT é um dos partidos que investem firme nessa área e, na semana passada, anunciou um evento dedicado a treinar a militância do partido, sem estar oficialmente relacionado às eleições. O próprio presidente estadual da sigla, Emídio de Souza admitiu, contudo, que as atividades de oficina serão muito úteis como modelo para as campanhas e quaisquer atividades futuras do PT.

Até aqui Jatene têm do seu lado PSDB, PPS, PSD, DEM, PP, Solidariedade e outros partidos menores.

Já Helder Barbalho conta com PMDB, PT, PCdoB, PHS, PROS, PDT, PSL e outros partidos menores.

O PTB lançou o ex-prefeito de Belém, Duciomar Costa. Zé Carlos do PV, também lançou sua candidatura.


Obama de drag queen? Essa foi a brincadeira da revista Quo. 

Veja mais no site da publicação


Foi realizado na tarde desta quinta-feira (27/03), o 1º Encontro Regional do Solidariedade no Pará, com a presença de várias autoridades no Hangar (Centro de Convenções e Feiras da Amazônia), como vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais. Assim como o Governador do Estado Simão Jatene e lideranças comunitárias e religiosas.

O presidente nacional do Solidariedade Deputado Federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força fez questão de agradecer em seu discurso, ao grande apoio recebido pelo Deputado Federal Wladimir Costa, afirmando que jamais irá esquecer o que o parlamentar tem feito para a construção do Solidariedade, que segundo o deputado deve atender aos menos favorecidos, em especial aos pobres pois o partido não foi criado para ser usado em favor da classe rica de nosso país e sim em prol dos que mais necessitam de solidariedade nas suas mais variadas causas.

Já o Governador do Estado Simão Jatene afirmou em entrevista à Rádio Metropolitana FM sobre a imagem que levou do encontro: “Uma bela demonstração democrática. E até mais do que isso, bela manifestação de compromisso com os maiores interesses do estado, interesses maiores do país. O que assistimos aqui foi o desejo e a vontade de se fazer um estado e um país melhor.”

Emocionado o Presidente Regional e Vice Nacional, Deputado Federal Wladimir Costa disse: “Mesmo com o dom das palavras que Deus me deu as palavras me faltam agora, pois você viu aqui deficientes, índios, homossexuais. Você viu o pastor Samuel Camara pregando a palavra, você viu padres, brancos, negros, ricos e pobres. Enfim, você viu pessoas de todas as cores, raças e todos em uma só felicidade. Todo mundo 
aplaudindo todo mundo. Uma festa memorável em prol da democracia.”

Ao término da entrevista Wlad afirmou: “Esse é um partido que veio para ficar e fazer história no Brasil, que é o partido Solidariedade no seu Primeiro Encontro Regional.”

Entres as autoridades presentes estiveram o Prefeito de Ananindeua Manoel Pioneiro, o Presidente da Assembléia Legislativa do Pará Márcio Miranda, o Presidente da Igreja Assembleia de Deus Samuel Camara, o Secretário de Estado de Agricultura Andrei Castro, a Secretária de Esporte e Lazer Renilce Nicodemos, assim como os deputados estaduais Hilton Aguiar e Eliel Faustino.

Fotos: Jorge Nascimento
Texto: Mettran Senna

Programa do PSB + Rede que foi ao ar nesta quinta (27/03/2014).


Esquentando as campanhas estaduais e presidenciais e precisando acordar a militância ao poder do marketing político digital, o PT prepara um evento para Abril que é no mínimo interessante e deixa a concorrência com uma pulga atrás da orelha. 
O ponto básico é: reproduzir ações positivas e contra-atacar notícias negativas.

A estratégia é apostar em uma versão do Campus Part, o Camping Digital será realizado durante a Páscoa (18 a 20 de abril) em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Orçado entre 350 a 400 mil reais, o evento terá oficinas, debates e análises sobre tecnologia e mídias sociais. No programa ainda estão incluídos treinamentos de criação de blogs e produção de conteúdo. Um verdadeiro exército de apoiadores do partido estará reunido para intenso treinamento de marketing político digital.

Também será abordada a criação e implantação de plataformas digitais, incluindo também noções de criptografia para defesa de ataque de hackers. Claro, para atrair os jovens, o partido também investiu em atrações culturais, como shows dos Racionais e Teatro Mágico. Serão ao todo 58 eventos em três dias.

A direção partidária já avisou que vai reproduzir o evento nos outros estados. A ideia é organizar pessoas treinadas para atuar nas redes sociais, em aplicativos móveis e celulares. “Temos que ter uma força que nos permita uma capilaridade para poder desmistificar essas coisas”, disse Alberto Cantalice, vice-presidente nacional do PT.

A outra grande novidade do partido da situação é a criação de uma agência de notícias online, para dar um mesmo tom à comunicação com a imprensa, bem como interagir entre diretórios e orientar militantes.

A presença do digital e sua importância já é vista em uma dimensão e importância nunca notada. É um cenário propício à discussão e o engajamento de muitos jovens, internautas e conectados. Com a campanha de 2014 teremos a oportunidade de ver, mensurar, monitorar, conversar, e conhecer  essa fatia de eleitores conectados. Parece que agora eles “entram em campo pra valer”! Parece simples. Será que é só isso? Só veremos na prática.